Como se preparar financeiramente para um rompimento ou um divórcio

Enfrentando o divórcio ou um rompimento com o seu parceiro? Talvez você tenha conversado com um advogado e esteja pronto para enfrentar um processo com advogados. Talvez vocês dois tenham decidido concordar respeitosamente em divorciar-se sem litígios. Ou talvez você esteja infeliz há anos e esteja explorando suas opções.

Não importa onde você esteja nesse estágio de rompimento, há algumas considerações financeiras fundamentais para fazer agora, de modo que você e qualquer criança que vocês tenham estejam protegidos se e quando vocês tiverem de fato, um rompimento.

Não importa onde você esteja nesse estágio de rompimento, há algumas considerações financeiras fundamentais para fazer agora, de modo que você e qualquer criança que vocês tenham estejam protegidos se e quando vocês tiverem de fato, um rompimento.

1. Informe-se sobre sua própria situação financeira


Cada rompimento é único, e seu novo quadro financeiro relacionado ao seu futuro depende de muitos fatores, incluindo quem ganha mais, se há filhos, se você é casado ou não, e em qual nome estão os ativos, como uma casa, aposentadoria ou investimentos - bem como qualquer dívida.

Se ainda não o fez, puxe todas as informações financeiras que puder sobre você e seu parceiro ou cônjuge. Compile esses documentos:

  • Declarações de imposto de ambas as partes nos últimos 3 anos  
  • Registros de emprego  
  • Declarações de hipoteca  
  • Declarações fiscais de propriedade 
  • Empréstimos para carros  
  • Cartão de crédito e outras dívidas  
  • Extratos bancários, incluindo cheques, poupanças, CDBs 
  • Contas de previdência, incluindo contas de antes de você se casar  
  • Contas de corretoras de valores 
  • Declarações de seguro de vida  
  • Prova das despesas das crianças, incluindo seguro e despesas de cuidados de saúde, creche / acampamento, atividades extracurriculares 
  • Poupança das crianças e contas de investimento universitário  
  • Registros da previdência social 
  • Registros de confiança e propriedade

 2. Abra suas próprias contas bancárias 


Embora qualquer conta bancária de de corretoras possam ser congelados até chegar a um acordo legal, não é incomum que uma das partes "limpe" as contas correntes e de poupança, deixando a outra sem fundos para um novo apartamento, honorários advocatícios ou pensão alimentícia. Mesmo que os dois consigam sobreviver sozinhos financeiramente, é  muito  comum que os casais divorciados lutem amargamente pelo dinheiro durante um rompimento.

Para garantir sua própria segurança e minimizar disputas,  abra contas bancárias em seu próprio nome. Comece a depositar seus cheques de pagamento e outras receitas na nova conta. Evite tirar dinheiro de uma conta conjunta, pois isso pode complicar qualquer negociação.

3. Puxe sua pontuação de crédito e histórico de crédito 


Uma pontuação de crédito forte é uma das ferramentas mais poderosas na criação de um futuro financeiro positivo e pós-dissolução.

A diferença entre uma pontuação de crédito 650 e uma pontuação de crédito 750 pode ser a diferença entre comprar um carro pós-divórcio, qualificar-se para alugar um apartamento em seu próprio nome (vs ter que ficar com seus pais ou um colega de quarto), e ter recursos para refinanciar sua casa em seu próprio nome. Uma pontuação de crédito forte também pode ajudá-lo a se qualificar para um novo emprego, e até mesmo ser atraente em um novo romance (42% dos entrevistados de uma recente  pesquisa do Bankrate disseram que a pontuação de crédito poderia ser um fator decisivo no namoro).

A TransUnion  é uma maneira precisa e segura de obter seu histórico de crédito e sua pontuação. Isso é fundamental para o seu futuro financeiro pós-divórcio por vários motivos. (N.T.: para nossa realidade, procure o SERASA).

Para começar, o relatório de crédito pode revelar contas abertas de que você não estava ciente - como contas fraudulentamente abertas por um estranho ou atividade financeira secreta que seu parceiro manteve de você. Inadimplências, erros e outros itens que diminuam sua pontuação de crédito também serão revelados.

Conhecimento é poder. Quanto mais você souber agora, melhor poderá negociar seu divórcio, além de corrigir eventuais erros.

Tenha em mente que o divórcio pode afetar seu crédito - pelo menos a curto prazo. Por exemplo, depois de remover seu nome de uma conta de crédito compartilhada, como uma hipoteca ou cartão de crédito, sua pontuação pode diminuir, já que esse histórico de crédito é removido agora, sem mencionar que a taxa de uso de crédito é menor.

 4. Separar contas de crédito conjuntas 


É fundamental retirar seu nome de qualquer dívida conjunta, começando com cartões de crédito. Se ambos os seus nomes estiverem em uma conta, e seu parceiro não pagar a fatura mensal, ou contrair dívida adicional, isso afetará sua pontuação de crédito e seu histórico, e você provavelmente é legalmente responsável por essa dívida.

Para se proteger:

  • Feche todas as contas conjuntas.  
  • Remova o seu nome como usuário autorizado na conta da outra pessoa e remova-o de qualquer uma das suas contas  
  • Abra uma conta apenas em seu nome  
  • Configure pagamentos automáticos de suas próprias contas correntes para garantir que eles sejam pagos no prazo e, idealmente, na íntegra  
  • Preste muita atenção a outras dívidas, como uma hipoteca, carro e empréstimos pessoais, para garantir que eles também sejam pagos a tempo.
  • Fique de olho na sua pontuação e relatório de crédito e tome medidas rápidas se a atividade suspeita aparecer. Divulgue e separe as principais listas de tempos mais vulneráveis ​​de fraudes financeiras, tanto de pessoas que você conhece quanto de estranhos - já que muitas vezes há um número extraordinariamente alto de transações financeiras ocorrendo.

5. Concentre-se em aumentar sua renda e economia


Não importa qual seja o seu acordo no divórcio, ou quanto você e seu parceiro ganham hoje, sua vida pós-rompimento provavelmente será financeiramente apertada - pelo menos a curto prazo.

Afinal, agora você tem que manter duas famílias com a mesma renda que sustenta uma família. Você provavelmente verá seus investimentos e economias de longo prazo serem reduzidos, e você estará ansioso para se atualizar. Além disso, o divórcio e os rompimentos geralmente exigem advogados caros, realocação, pagamentos em uma nova compra ou aluguel de casa e outras despesas da nova vida.

Infelizmente, há muito incentivo para os cônjuges divorciados reduzirem sua renda - pois isso pode aumentar a soma do sustento infantil ou da pensão alimentícia devida, ou diminuir o valor que você deve pagar.

Esse tipo de manobra apenas aumentam os problemas agora e reduz seu bem-estar financeiro e pessoal para o resto de sua vida.

Apesar do que seu advogado pode sugerir, ou seus amigos insistam, siga o caminho certo e concentre-se em aumentar sua carreira e renda. Planejando sua vida econômica, crie um orçamento e, em seguida, coloque sua energia e seu tempo construindo sua carreira, iniciando aquele trabalho paralelo com o qual você sonha ou aumentando os lucros da sua empresa. Construa economias de emergência e de longo prazo e invista em uma aposentadoria saudável.

Este momento positivo terá benefícios financeiros duradouros para você, seus filhos e talvez até mesmo seu relacionamento com seu ex - e focar sua energia em um novo futuro positivo.

by Mint Live



Receba por e-mail as atualizações dos Blogs de Finanças Estrangeiros clicando nesse link


...e, se gostou do texto, compartilhe-o usando o símbolo abaixo

Comentários